Guia para criação de conteúdo focado em e-commerce

Produzir conteúdo de qualidade para o seu e-commerce é muito importante. Através dessa estratégia de marketing digital, você consegue melhorar a reputação na sua área de atuação e fazer com que a sua empresa fique cada vez mais conhecida.

Gerar tráfego e converter leads em clientes é o que realmente vai fazer a diferença no lucro e na continuidade do seu negócio.

O problema é que muitos empreendedores oferecem suas soluções da maneira errada. Eles tentam a todo custo empurrar os produtos e/ou serviços da loja para os clientes.

Se você quer crescer no ambiente digital, precisa saber que esse não é o jeito certo de vender pela internet.

Para entender mais sobre o assunto, continue a leitura.

Como criar conteúdo para e-commerce que realmente agregue valor?

O seu público-alvo não quer simplesmente adquirir um produto. Ele quer uma solução e uma experiência diferenciada.

Por esse motivo, você precisa mostrar, de forma suave, os motivos pelo qual a sua marca é capaz de oferecer os melhores produtos e/ou serviços e que problemas eles podem resolver.

Uma das formas de fazer isso é através do marketing de conteúdo, uma estratégia que tem como principal objetivo, diferenciar o seu negócio, para que dessa forma, as pessoas se interessem cada vez mais pelo que a sua empresa pode oferecer.

Mas não basta criar conteúdo – é necessário gerar valor e fazer com que audiência realmente fique interessada em consumir os artigos, vídeos, infográficos e ebooks produzidos pelo seu e-commerce.

E como gerar valor?

Primeiramente, conhecendo a sua persona. Sem isso, não tem como saber o que o seu público realmente espera de você.

Depois, é necessário fazer pesquisas e monitorar o comportamento do público no seu site, para que dessa forma, você descubra quais os tipos de conteúdo que eles mais gostam de consumir.

Crie uma estratégia focada em originalidade e inovação. Jamais copie o conteúdo dos seus concorrentes.

Seja original e faça o SEU e-commerce ser considerado uma referência nessa área.

Para te ajudar nesse processo, nós vamos explicar sobre a pirâmide de Chet Holmes e a forma como ela pode te ajudar a vender mais.

Entenda a pirâmide de Chet Holmes e foque nos 7%

Chet Holmes, um renomado executivo americano, ao longo de sua carreira profissional, identificou 12 competências que fazem parte da estrutura de grandes corporações.

A partir dessas 12 competências, ele desenvolveu dezenas de métodos para implementá-las.

Agora que você já sabe quem foi Chet Holmes, está na hora de saber como o conceito da pirâmide de Homes é aplicado na prática.

Pois bem, para te ajudar a entender melhor sobre o assunto, vamos te dar um exemplo.

Imagine que você seja o dono de uma agência de marketing digital. Obviamente, você tem um público muito interessado no seu serviço e que está totalmente disposto a realizar negócios com você.

Também há pessoas que até se interessam pelo que você tem a oferecer, mas ainda não tem certeza se você é a melhor opção ou se os seus serviços podem agregar valor para a vida delas.

Além disso, não dá para deixar de mencionar o grupo que não tem o menor interesse no que você tem para oferecer. As suas estratégias não devem ser focadas nesse grupo, pois as chances de convertê-los em clientes são muito baixas. Vale muito mais a pena focar nos clientes em potencial.

Qual a relação entre a pirâmide de Chet Holmes e o marketing de conteúdo?

O conceito proposto por Holmes divide o público de consumidores em cinco partes diferentes:

  1. Os consumidores que estão totalmente interessados em adquirir os seus produtos/serviços
  2. Os consumidores que estão dispostos a adquirir os seus produtos/serviços
  3. Os consumidores que não estão pensando na sua marca como uma solução para o problema deles
  4. Os consumidores que acreditam não estar interessados em adquirir os produtos/serviços
  5. Os consumidores que definitivamente não querem adquirir seus produtos/serviços

Para que focar nos últimos dois grupos, se há outros muito mais propensos a realizar negócios com você?

Segundo Holmes, aproximadamente 3% dos consumidores estão prontos para a decisão da compra (primeiro grupo) e 7% estão dispostos a comprar os seus produtos/serviços (segundo grupo).

Foque principalmente no primeiro e segundo grupo. Contudo, não esqueça do terceiro, porque as pessoas que fazem parte desse grupo, em algum momento, podem se tornar bons clientes, se a sua marca utilizar as estratégias certas (como o marketing de conteúdo, por exemplo).

O conteúdo certo vai fazer com que a sua audiência veja você como a solução para o problema que está sendo enfrentado.

Ideias de conteúdo para o seu e-commerce

Agora que você já sabe como funciona a pirâmide de Chet Holmes e a importância desse estudo para a sua estratégia de marketing de conteúdo e Inbound Marketing, está na hora de começar a produzir conteúdo para o seu e-commerce.

Mas calma! Não basta apenas publicar um artigo ou outro de vez em quando ou então, carregar um vídeo no YouTube uma vez por mês.

Para essa estratégia ser eficaz, você precisa criar um padrão e uma frequência. Ou seja, será necessário entender as preferências do seu público e organizar a divulgação do conteúdo.

Veja alguns tipos de conteúdo para e-commerce que podem favorecer a relação entre a sua marca e o público-alvo:

  1. Guia de produtos
  2. Depoimento de clientes
  3. Transforme comentários de clientes
  4. Comparativo de produtos

Falaremos um pouco sobre cada um deles a seguir:

1 – Guia de Produtos

Quando você quer descobrir como algo funciona, certamente você faz uma pesquisa na internet e clica no primeiro link que parece ser a solução do seu problema, não é mesmo?

Pois bem, o seu consumidor faz a mesma coisa!

Ou seja, se você quer que as pessoas cheguem até o seu site, blog ou loja virtual, crie artigos e vídeos que funcionem como um guia.

Ensine as pessoas a utilizar determinado produto, como por exemplo, um software de internet (claro, tudo depende da sua área de atuação).

Esse conteúdo é muito consumido pelas pessoas e com certeza, se você ensinar a sua audiência a utilizar determinado produto, será muito mais fácil receber visitantes na sua loja virtual!

Portanto, os artigos e vídeos que funcionam como um guia são o primeiro passo para a produção de conteúdo do  seu e-commerce.

2) Depoimento de clientes

Quando você escuta um amigo ou conhecido falando bem de um produto ou serviço, é bem provável que você comece a se interessar pela marca que oferece esse produto ou serviço, certo?

As pessoas confiam em depoimentos de outras pessoas.

Por esse motivo, divulgar depoimentos de clientes satisfeitos é uma ótima forma de melhorar a reputação do seu negócio.

Os depoimentos podem ser postados de duas formas: através de vídeos ou textos (pequenas frases, na verdade).

Só tem um detalhe: os depoimentos precisam ser reais, ok? O público percebe quando um depoimento está forçado demais ou não é verdadeiro.

Mas não se preocupe, pois se você desenvolver um serviço de qualidade, não vai ser nem um pouco difícil receber depoimentos de clientes satisfeitos

3) Transforme comentários de clientes

Se no seu e-commerce há um espaço para os clientes fazerem comentários, aproveite para criar uma nova forma de conteúdo e divulgá-lo no seu site ou nas redes sociais da sua empresa.

Como? Bom, antes de fazer uma compra, as pessoas fazem muitas pesquisas, já que elas têm dúvidas em relação a credibilidade ou a eficiência de determinado produto e/ou serviço.

Caso você esteja recebendo a mesma pergunta várias vezes, há três coisas que você fazer:

  • Criar um F.A.Q com as principais perguntas (faça um tópico separado para os consumidores terem acesso ao F.A.Q)
  • Uma live para responder as principais dúvidas
  • Posts no Instagram com as perguntas mais comuns

Viu só? Os comentários dos leitores podem se transformar em um tipo de conteúdo muito legal e que gera engajamento nas suas redes sociais!

4) Comparativo de produtos

Imagine que a sua empresa trabalhe com dois produtos muito semelhantes e por isso, o público não sabe qual deles adquirir.

Nesse caso, faça uma tabela comparativa entre esses produtos. Dessa forma, as pessoas vão entender melhor qual o objetivo de cada um deles.

Onde vincular o conteúdo de e-commerce criado?

Tão importante quanto criar conteúdo, é saber onde divulgá-lo. Cada rede social funciona de forma diferente e por isso, é fundamental você saber o tipo de conteúdo que mais agrada o público de determinado canal de comunicação.

Veja como divulgar o tipo de conteúdo que você criou:

Redes sociais

As redes sociais mais comuns no momento, são o Facebook e o Instagram. Essas duas mídias são excelentes ferramentas para você postar infográficos, fotos e vídeos.

Mas também, há outros canais de comunicação que podem ser interessantes para o seu negócio, como por exemplo, o Pinterest, o TikTok e o LinkedIn.

Se você estiver presente em todas elas, faça uma pesquisa para ver como o seu público-alvo se comporta em cada uma delas.

No LinkedIn, o conteúdo deve ser mais formal. Já no TikTok, a ideia é fazer com que a sua audiência se divirta e engaje mais com a sua marca.

Se utilizar o Pinterest, capriche no conteúdo visual (imagens e infográficos são o tipo de conteúdo preferido do público que utiliza esse canal).

YouTube

Você decidiu produzir conteúdo audiovisual para o seu e-commerce? Então está na hora de se cadastrar nessa rede social agora mesmo.

Para começar, crie um canal no YouTube. Mas antes de começar a divulgá-lo ou de postar vídeos, escreva uma descrição bem legal para o seu perfil e coloque uma capa que favoreça a identidade visual da sua empresa.

Depois, obviamente, é hora de começar a produção de vídeos.

Não importa se você vai divulgar podcasts, tabelas comparativas, vídeo institucional, etc. O mais importante de tudo, é a qualidade do material, já que essa rede social possui bilhões de vídeos.

Câmeras e microfones fazem toda a diferença na qualidade final do vídeo. Isso significa que talvez seja necessário investir em uma boa câmera e em um microfone que faça com que o áudio tenha mais qualidade.

Postou um vídeo divulgando um produto ou serviço? Então não esqueça de deixar o link de compra na descrição do vídeo.

Aliás, a descrição do vídeo também pode ser utilizada como uma estratégia de conteúdo.

Por isso, cuidado com o que você vai escrever. Seja objetivo, mas ao mesmo tempo, faça com que o consumidor fique interessado no conteúdo do vídeo e no produto.

Como o conteúdo pode ajudar na decisão de compra do consumidor?

A persona da sua marca possui problemas, necessidades e desejos específicos.

Porém, nem sempre ela está consciente desse problema ou da forma em que ele pode ser resolvido.

E é nesse momento que o marketing de conteúdo entra em ação.

Ao gerar conteúdo de valor, focado nas dores e desejos do seu público, você faz com que as pessoas se interessem mais pelo que você tem a oferecer.

O problema é que muitas empresas acham que o conteúdo é uma estratégia de curto prazo. Na verdade, não é bem assim.

Quanto mais você tentar empurrar o produto e/ou serviço, mais difícil vai ser para realizar uma venda. É preciso ter calma!

A ideia do marketing de conteúdo, é fazer com que o consumidor se interesse pelo que você tem a oferecer e principalmente, considere o seu e-commerce como a solução para o problema dele.

Claro que em alguns momentos, você vai precisar produzir um conteúdo mais persuasivo, pois o consumidor quer muito adquirir um produto, mas precisa daquele empurrãozinho final.

Imagem padrão
duraesjr@gmail.com
Artigos: 5

Deixar uma resposta

Address
304 North Cardinal St.
Dorchester Center, MA 02124

Work Hours
Monday to Friday: 7AM - 7PM
Weekend: 10AM - 5PM